Quem quer brincar levanta a mão!

 

Que criança não gosta de brincar? Os pequenos nascem naturalmente criativos e, principalmente nos primeiros anos da vida, utilizam essa criatividade para inventar histórias, jogos, diversões, personagens e muito mais. As crianças estão sempre brincando; seja com brinquedos, com as mãos ou com objetos inanimados que se transformam com a imaginação. 

Como é apresentado no documentário “Tarja Branca – A Revolução que Faltava”, os mais velhos se lembram que na infância tínhamos mais tempo para brincar ou simplesmente fazer nada. Mas o mundo mudou e hoje as crianças têm cada vez menos tempo para brincar sem olhar para os ponteiros do relógio. Esse fato é muito preocupante, mas você sabe o porquê? Você já se perguntou qual a importância do brincar para o crescimento, aprendizado e o bem estar das crianças? Por que encorajar e manter o brincar no dia a dia torna a infância ainda mais saudável?

Mais que só brincar: se desenvolver!

Brincar e se divertir faz parte da infância e, embora pareça superficial para o desenvolvimento, são essenciais para a trajetória das crianças. Durante essa atividade, elas aprendem, experimentam o mundo e possibilidades de vivência, relações sociais, elaboram sua autonomia de ação, organizam emoções, entre outros. Com a brincadeira, a criança ultrapassa a realidade, transformando-a utilizando-se da imaginação. A brincadeira é uma das formas encontradas para expressar sentimentos e desejos. Além disso, o brincar desenvolve também a aprendizagem da linguagem e a habilidade motora.

“Na brincadeira a criança constrói sentido sobre o mundo que a rodeia, apropriando-se dele e produzindo cultura. Ao brincar a criança elabora e aprofunda os papéis sociais que ela vivencia. Como por exemplo, brincar de casinha, que é uma representação da vida em família que a criança vivencia não só seu papel, mas também experimenta os demais papéis familiares e essa é a principal importância das brincadeiras simbólicas”, contam as professoras da Santi, Graziella Bisi, Renata Adduci e Roberta Mráz. 

O brincar e o aprendizado andando de mãos dadas

Aqui na Santi, acreditamos que o brincar é uma das linguagens mais importantes e expressivas das crianças (e até dos adolescentes) e que também se aprende muito com as brincadeiras. Sobre esse tema, conversamos com o doutor Daniel Becker, pediatra e especialista, que nos contou que o brincar tem uma importância fundamental na infância. 

“A criança compreende a si mesma e ao mundo por meio do brincar. E ela também se expressa através do brincar e, mais do que isso, ela aprende as principais habilidades dela brincando. A gente acha que criança precisa de treinamento, a gente vive uma coisa na sociedade chamada “paradigma escolar do desenvolvimento”: é uma ideia predominante de que as crianças só vão aprender se forem treinadas, supervisionadas e ensinadas, enquanto na verdade, elas aprendem muito sozinhas”, nos disse o doutor. Para assistir à entrevista completa, você pode clicar aqui.

Nossa escola valoriza o brincar e utiliza desse recurso para estimular o desenvolvimento da autonomia, responsabilidade e respeito à diversidade humana e à natureza.

O incentivo Santi ao brincar

A brincadeira é parte integrante do cotidiano na nossa escola e faz parte de nossa essência. Por meio dela, acontecem o desenvolvimento de importantes funções inerentes ao ser  humano como a imaginação, a memória, a consciência corporal e a construção da sua identidade pessoal e, também, coletiva. A partir da aprendizagem de conceitos, atitudes e procedimentos, nos esforçamos para manter as crianças brincantes, oferecendo espaços e momentos de diversão, criatividade e conhecimento, sempre numa perspectiva colaborativa e sustentável. 

“Ao vivenciarem os valores universais que tanto prezamos como a justiça e  o respeito, as crianças criam uma boa imagem de si e do outro. Criamos espaços de conversas, trocas, expressão dos sentimentos e zelamos por uma escuta ativa que valoriza o que as crianças dizem, sentem e pensam. A troca destes papéis permite que a criança aprenda sobre o ambiente social no qual está inserida e projete sobre seu futuro como adulto, almejando crescer e se desenvolver”, nos contam mais um pouco as professoras da Santi. 

 

Não nos esqueçamos nunca de incentivar nossos pequenos a brincarem e, sempre que pudermos, brincar junto com eles! Conta para a gente: quais são as brincadeiras mais comuns aí na sua casa?

 

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
Share on facebook